• Twitter
  • Facebook
Home \ TORÁzinha \ Um seder mágico

Um seder mágico

13.04.11  |   TORÁzinha  |  Marcella Becker

Um seder mágico

Nossa história aconteceu alguns dias antes de Pessach em uma aldeia na Polônia. Enquanto todos se preparavam para o chag, chega à cidade um visitante um pouco fora do comum, um Mágico. Perguntaram a ele de onde ele tinha vindo, e ele respondeu “Venho de Paris”. E para onde você vai? Ele respondeu: “Para Londres”. Mas quem vai de Paris até Londres passando por um vilarejo na Polônia? Será que ele estava perdido?

O mágico preparou um lugar na cidadezinha para mostrar suas mágicas. Ele engolia carvão como se fosse batata, e tirava longas fitas coloridas de sua boca. Ele batia palmas e assobiava e fazia bolos e pães voarem como pássaros.

anacondinha Um seder mágico

Agora vamos falar sobre Yonah e sua esposa Rivka. Yonah era um vendedor de madeira. Um dia ele comprou uma floresta que pertencia a um rico proprietário de terras, para cortar as árvores. Os homens que trabalhavam na floresta se recusaram a permitir que as árvores fossem cortadas, e os funcionários do governo vieram e fecharam a floresta. Então Yonah não conseguia ganhar dinheiro para viver. Pessach estava se aproximando e não tinha nada em casa. Rivkah disse ao marido para ir e pedir “o dinheiro do trigo”, uma tzedaká especial para quem precisa comprar comida para Pessach. Mas Yonah se recusou, ele tinha fé que D-us não esqueceria dele. Rivka revistou toda a casa, D-us a ajudou, e ela encontrou uma colher de prata velha. Um verdadeiro milagre! Yonah pegou a colher e vendeu no mercado, e o que ele fez com o dinheiro? Deu para os que precisavam como “dinheiro de trigo”, como fazia todos os anos.

Faltavam apenas duas semanas para Pessach, ele não tinha nada em casa. Yonah disse: “Deus não se esquecerá de nós.” De qualquer forma, não havia nada a ser feito. Rivkah estava tranquila. Na noite do Seder, Yonah saiu da sinagoga e foi para casa. Em cada casa havia velas em honra ao chag, Apenas a sua casa estava toda escura. Mas Yonah tinha fé, por favor D-us. Ele ainda teria um Seder! Ele chegou em casa e gritou “Chag sameach!” Ninguém respondeu, então ele gritou de novo “Chag sameach Rivkah!” De um canto escuro Rivkah respondeu com uma voz de choro “Chag sameach”. ‘ Ele aproximou-se e disse a ela baixinho “Rivkah, hoje é um dia festivo, você não pode ficar triste. Por que você está infeliz? Se D-us não quer que nós tenhamos nossa próprio Seder, iremos passar em outra casa. Venha colocar o seu lenço de cabeça e vamos bater na janela de um dos vizinhos. E Rivkah, que sempre obedeceu a seu marido, queria muito chorar, mas se segurou e não chorou. Com as mãos tremendo, colocou na cabeça o lenço, e eles estavam prontos para sair, quando de repente a porta se abriu e um homem gritou: “Chag sameach!.” Yonah respondeu: “Chag sameach!” Mas eles não podiam ver nada no escuro. Então o homem entrou na sala. “Eu quero sentar com vocês no Seder”, disse ele. “Mas não temos um Seder”, respondeu Yonah, “D-us não quer que a gente tenha um. “Bobagem”, disse o homem, “Eu tenho o Seder!” Então ele se levantou no meio da sala, gritou: “Abracadabra, Pirlim Pimpim”, e no meio da sala apareceram dois castiçais de prata com velas acesas. Em seguida, Yonah viu o homem, e o reconheceu como o mágico. Mas eles não foram capazes de falar. Ambos estavam com os olhos arregalados e de boca aberta. Então o mago virou-se para a mesa e gritou: “A toalha de mesa, bem linda!” De repente, ele tira da cartola uma toalha branca e cobre a mesa. “Mas”, disse o mágico, “nós ainda não temos almofadas para sentar.” Ele põe a mão na cartola e tira almofadas brancas, bordadas a ouro. Dos bolsos ele tira uma keará, matzot, vinho, copos e até Hagadot!

Hocus plate small0003 edited 5 Um seder mágico

Rivkah estava abismada, sussurrou no ouvido de Yonah “lsto é permitido?” Os dois, em seguida, deixaram o mágico em casa e correram para o Rabino que ouviu espantado, pensou, e então, finalmente disse: “Voltem para casa, e se a matzah pode ser quebrada com a mão e o vinho pode ser despejado fora dos copos, então isto não é mágica, mas um milagre dos céus, e você pode realizar o Seder.” O casal voltou para casa. O mágico tinha ido embora, mas o Seder estava lá. O vinho pode ser despejado em caixas, a matzah podia ser quebrada pela mão, e eles entenderam que o mago era realmente Eliahu Hanavi, o Profeta Elias, que tinha vindo até eles, e eles aproveitaram e se alegraram em Pessach com todo o resto de Israel.

Chag Sameach!

Comentários fechados.