• Twitter
  • Facebook
Home \ Halachot \ Teshuvá – por Fábio Erlich

Teshuvá – por Fábio Erlich

27.12.10  |   Halachot  |  Marcella Becker

Uma pessoa faz teshuvá de um pecado ou de algo errado que cometeu e recebe sobre si não mais fazer aquele mesmo erro no futuro. Caso haja uma grande possibilidade da pessoa no futuro cair no mesmo pecado, e ela sabe que isso sim pode acontecer, mesmo assim ela deve receber sobre si não cometer aquela mesma transgressão ou não?

Ou seja, se a pessoa sabe que ela pode vir a pecar, no momento da teshuvá, será que ela pode receber sobre si a não realização do pecado no futuro ou isso seria de alguma forma uma mentira perante D´us?

Resposta:

Em primeiro lugar, devemos esclarecer que a teshuvá que fazemos engloba tanto o arrependimento sobre um pecado particular quanto de uma forma geral a respeito de todos os atos que cometemos em nossas vidas.

O arrependimento geral significa a nossa vontade de estarmos “limpos” e puros de todos os tipos de fraquezas que nos cercam. Sobre isso, nós rezamos e pedimos bastante, mesmo sabendo em nosso interior que não podemos estar limpos de todas as nossas fraquezas.porém, quando falamos e nos arrependemos de forma geral sobre as nossas atitudes, nós sabemos que podemos sim ter menos fraquezas. Diante de nossas palavras, e sabemos que estamos sempre diante de Hashem, nós expressamos os desejos mais profundos e verdadeiros para que Ele nos dê a força que certamente nos salvará de nossas fraquezas. A fraqueza que existe dentro de cada um de nós é o que nos leva a cometer pecados, mesmo quando sabemos a gravidade dos mesmos e as suas conseqüências.

Além disso, existe um arrependimento sobre um fato específico ou sobre um pecado específico. Ao pensar que a teshuvá se refere também ao nosso comprometimento de não mais cometer um pecado no futuro, deve-se pensar realmente o que realmente tem condições de receber sobre si e não de forma qualquer.

Por exemplo, se uma pessoa comete um determinado pecado todos os dias de sua vida, no momento da teshuvá ela deve receber sobre si que, inicialmente apenas no Shabat ela não irá cometer aquele pecado, uma vez que caso receba que jamais fará aquele ato, provavelmente ela cairá rapidamente no pecado novamente, uma vez que a pessoa tem que deixar de cometer os atos errados aos poucos, de forma gradual, passo a passo. Ou seja, ao receber sobre si a teshuvá e a não realização deste pecado no Shabat, ele deve dizer: “estou recebendo sobre mim a não realização deste pecado (especificar) no Shabat e espero que jamais torne a realizar esta transgressão”.

D´us olha para nossos corações e sabe que isso não foi de forma alguma um desprezo do pecado e sim a força que a pessoa tem dentro dela de assumir uma responsabilidade real e que pode ser cumprida por ela.

Em resumo, existe a teshuvá em que há um recebimento geral relacionado ao não cometimento de um pecado no futuro que é algo ligado à nossa vontade interior, mas não necessariamente teremos forças para cumprir de uma hora para outra, e existe também a teshuvá em que a pessoa recebe sobre si a não realização de um pecado, mas de forma específica e o ser humano consegue fazer as contas do que ele tem condições de receber sobre si naquele momento e naquele estágio de sua vida. As duas formas são bastante importantes e compõe a teshuvá e o fato da pessoa receber sobre si a não realização de um ato errado no futuro.

Que tenhamos força e vontade para fazermos teshuvá de tudo o que estamos precisando em nossas vidas, para que possamos cumprir o mandamento de nossa Torá de “Kedoshim Tihiu” (Sejamos santos). É isso que Hashem espera de todos nós e é isso que devemos lutar para fazer.

0 Comentários.

Deixe um comentário