• Twitter
  • Facebook
Home \ Halachot \ SHEMÁ ISRAEL

SHEMÁ ISRAEL

17.12.10  |   Halachot  |  administrador

Agora explicaremos mais uma parashá do Shemá Israel –  a parashá de vehaiá im shamoa. Esta parte do Shemá fala sobre castigo e recompensa. Nos diz que se cumprirmos a Torá, D’s nos dará chuva e alimentos e poderemos comer e nos satisfazer. Porém, também está escrito que se sairmos do caminho, fazendo coisas erradas, D’s nos castigará, não haverá chuva nem alimentos e seremos expulsos de nossa terra. Quando lemos a parte dos castigos, costumamos baixar o tom de voz, por estarmos falando coisas ruins.

Realmente, o castigo e recompensa é uma das bases da fé judaica. Está entre  os 13 princípios da fé judaica, escrito pelo Rambam.

Aproveitando a oportunidade, gostaria de trazer aqui os 13 princípios da fé judaica que são aceitos por todas as linhas do judaismo. Há um costume de recitá-los todas as manhãs, após a reza, para fixarmos em nossos corações tais princípios.

  1. D’s está sempre presente, supervisionando e direcionando todos os acontecimentos.
  2. Ele é único.
  3. Ele não tem corpo nem limite de espaço.
  4. D’s antecede tudo e todos, sem ter limite de tempo.
  5. Todo nosso trabalho e rezas devem estar direcionados unicamente para Ele.
  6. D’s sabe os pensamentos dos seres humanos.
  7. A profecia de Moshe é verdadeira e também dos profetas que o sucederam.
  8. Moshe é o principal de todos os profetas.
  9. A Torá foi dada por D’s.
  10. A Torá é eterna e nunca poderá ser modificada.
  11. Haverá castigo e recompensa.
  12. Mashiach virá.
  13. No futuro haverá a ressurreição dos mortos.

Esta justiça divina, muitas vezes, está oculta aos nossos olhos. Quantas vezes vemos pessoas boas sofrendo e pessoas ruins curtindo a vida! E realmente, para que tenhamos livre arbítrio, a justiça de D’s (castigo e recompensa) não poderia estar clara aos nossos olhos, pois, se fosse assim, todos só fariam o bem por causa da recompensa e nunca o mal, para não serem castigados. De qualquer forma, a justiça de D’s está presente e Ele a aplica bem “dividida”: uma parte em nosso mundo (no presente ou no futuro), outra parte no mundo vindouro, parte em outra encarnação, etc, tudo conforme a vontade de D’s, que nos dá sempre a oportunidade de fazermos teshuvá e de modo que não entendemos, para termos o livre arbítrio.

 Sendo assim, por que será que no Shemá parece ser tão clara a justiça de D’s em nosso mundo, como citamos acima?

A resposta é que a justiça de D’s só é vista e sentida claramente quando se trata da maioria de nosso povo, mas não de indivíduos. Quando o povo judeu está no caminho correto, com certeza só terá coisas boas.

0 Comentários.

Deixe um comentário