• Twitter
  • Facebook
Home \ Parasha \ Noach – por Matan Regev

Noach – por Matan Regev

11.03.11  |   Parasha  |  Marcella Becker

BS”D

Na nossa parashá aparece a incrível historia de Noé, que foi escolhido por D’s para continuar a raça humana no mundo, fazendo um mundo totalmente renovado. Noé teve muito tempo para observar os pecados das gerações que foram anteriores a sua e assim entender quais que foram tais pecados, e tentar aprender e se cuidar para não voltar a cometê-los.

O pior dos pecados foi o de Adão que comeu o fruto da arvore da sabedoria, pois o resultado de tal pecado é a dificuldade que temos de diferenciar entre o bem e o mau. O instinto mau entrou em nossos pensamentos e nos confunde a todo instante, pois tudo no mundo é constituído de um lado bom e um lado mau. Para que o homem possa ultrapassar, vencer o instinto ruim é preciso em primeiro lugar definir o que é bom e o que é ruim. E por isso, D’s ensinou a Noé um ensinamento de maior importância, a diferença entre os animais puros (bons) e os impuros (maus) –  tudo isso muito antes do recebimento da Tora quando nem havia ainda o mandamento de se comer somente kasher. Tal ensinamento foi feito nesta ocasião, para que Noé entendesse a diferença entre o bem e o mau.

Depois que Noé saiu da arca e fez sacrificios para D’s, ele decidiu que a primeira coisa a ser feita neste novo mundo seria plantar, trabalhar a terra. Dentre as plantas que ele havia trazido consigo na arca, ele escolheu plantar uvas. Por que justamente as uvas?? Porque segundo uma opinião de nossos sabios o fruto da Árvore da Sabedoria era a uva. Assim Noé escolheu este mesmo fruto, o qual foi feito anteriormente o pecado, para ser o fruto agora utilizado para ser elevado em nome de D’s e assim ele consertaria o pecado tornando este um mundo novo melhor. Mas…

Quando Noé começou a plantar as uvas, veio o instinto mau e pediu a Noé para participar da plantação. E para grande surpresa Noé concordou, e então eles dividiram o trabalho entre os dois. Noé era responsavel pela plantação e o instinto mau por regar. O que fez então o mau instinto?? Em vez de utilizar água, ele pegou alguns animais, matou-os e com o sangue destes animais regou as uvas. Por causa que no sangue está a alma de tudo, as caraceristicas de tais animais entraram nas uvas. E todo homem que toma vinho deve tomar cuidado para não se comportar como tais animais. Dizem os nossos sabios no midrash que :

Quando o homem toma um copo de vinho, ele comporta-se como uma ovelha, humilde, quieto…

Quando o homem toma dois copos de vinho comporta-se como um leão, ou seja ele se acha um herói e muito forte…

Quando o homem toma três copos de vinho passa a se comportar como o macaco, brinca e fala besteiras…

Quando o homem toma quatro copos de vinho ele fica como o porco, passa a vomitar e fica sujo…

O problema todo começou quando Noé concordou com a participação do instinto mau na plantação das uvas. Noé devia ter usado o ensinamento passado por D’s e diferenciar o bem do mau. Porém ele acabou não tomando cuidado, bebeu o vinho e fez muitas ações que envergonharam não somente ele, como também sua família, como contado em nossa parashá.

Assim como Noé, nós rezamos para D’s que nos ajude a consertar o mundo e esperamos que chegue o dia em que todo o mundo entenda quem é o verdadeiro Rei do mundo. Para que isso aconteça, cada um de nós deve participar com a sua parte, cada um na sua função (tecnologia, educação, economia, medicina, etc.). Porém, temos que ter muito cuidado, pois em cada mitzva ou ação nossa o instinto mau esta pronto para nos atrapalhar, mas para nossa sorte D’s nos deu a Torá, que ela nos guia para o caminho correto e nos ensina o que é bom e o que é mau. Precisamos somente fazer um pequeno esforço e abrir o nosso “guia” (Torá), e estudá-la.

Boa sorte a todos,

Matan Regev.

 

Comentários fechados.