• Twitter
  • Facebook
Home \ Conflito \ Irmandade Muçulmana

Irmandade Muçulmana

04.02.11  |   Conflito  |  Marcella Becker

Para entender a interação da Irmandade Muçulmana, criada no Egito em 1929, com os palestinos e suas facções

por José Roitberg

1) Hassan al-Bana, egípcio, foi à Palestina em 1935 e estabeleceu a Irmandade Muçulmana lá.

2) O líder da Irmandade Muçulmana foi Haj Amin al-Husseini, o grande mufti de Jerusalém, tio de Arafat, que tinha uma plataforma anterior aberta de matar judeus e expulsar todos de lá, que fugiu para a Alemanha nazista e criou a brigada da SS muçulmana na Bósnia (lutaram também contra os soviéticos) e depois da guerra fugiu para o Egito onde não só se estabeleceu mas declarou a independência da Palestina, não reconhecida por ninguém. Arafat nasceu e estudou no Egito.

Haj AmIrmandade Muçulmana já comandava o terrorismo contra os judeus desde 1921, os diversos massacres, incluindo o de Hevron em 1929 – ah… a ligação, é quando foi criada a Irmandade Muçulmana.

3) A OLP (Organização pela Libertação da Palestina) foi criada no Egito, pela Irmandade Muçulmana e Nasser em 1963 liderada por Ahmed Shukeiri, advogado sírio (1908-1980)

4) Enquanto Haj AmIrmandade Muçulmana era o líder político e religioso, o lider militar palestino da Irmandade Muçulmana que comandou o levante armado contra os britânicos em 1935 foi Izz al-Din al-Qassam, daí o nome das "brigadas" e dos foguetes. Nessa revolta de 1935 foram mortos, pelo menos 1.000 árabes definidos como lideranças moderadas e pró-ocidentais (pelo pessoal da Irmandade Muçulmana) inclusive o Rei Abdulah I da Jordânia.

5) Em 1973, antes da Guerra do Iom Kippur, o grande líder da Irmandade Muçulmana entre os palestinos era o sheik Ahmad Yasin, depois fundador do Hamas levando-o a uma agenda mais radical, preso por Israel, libertado, continuando a incentivar o suicídio-homicídio até ser morto por Israel.

6) Fatah e OLP são opostas à Irmandade Muçulmana.

7) A Irmandade Muçulmana está organizada em todos os países árabes, na maioria com representação política através do Partido da Libertação – Hizb ut-Tahrir e basta procurar por este nome nos distúrbios da Tunísia, Egito, Jordânia, Iemem e em breve Síria, para saber quem está por trás. O Hizb-ut-Tahir existe inclusive em Israel e membros árabes do Knesset são dele ou ligados a ele.

A plataforma final da Irmandade Muçulmana e do Hizb ut-Tahrir é "Palestina terra muçulmana", e todos os países árabes sob dominação muçulmana sunita com específica legislação fundamentalista com as leis oriundas do Sunan (o que não é exatamente a mesma coisa que a sharia que mal conhecemos), mas é um dos retornos pregados aos anos de ouro e areia do garoto Mohamed.

                                                                                    

Comentários fechados.