• Twitter
  • Facebook
Home \ Halachot \ HALACHÓT DO SHEMÁ ISRAEL (continuação)

HALACHÓT DO SHEMÁ ISRAEL (continuação)

17.12.10  |   Halachot  |  administrador

O Shemá Israel continua nos dando a obrigação de ensinarmos a nossos filhos a torá -  “Veshinantam levanecha” - “e repetirás a teu filho”. Esta é uma das mitsvót mais importantes da torá, pois somente assim conseguimos manter a chama do judaísmo acesa, fazendo com que o povo judeu, independente do momento ou do lugar no qual se encontre, continue cumprindo a mesma torá e mitsvót que recebemos na geração da saída do Egito. É disto que depende a sobrevivência do povo judeu, pois mais do que o anti-semitismo conseguiu exterminar membros do nosso povo, a assimilação dia a dia acaba com mais e mais judeus.

Na saída do Egito D’s se revelou para nosso povo e a principal forma de demonstrarmos que isso realmente aconteceu é através de contarmos  sobre a saída do Egito para nossos filhos. Este fato histórico é a base do judaísmo e a prova de que realmente foi D’s que nos deu a torá. Assim, cada pai judeu tem a obrigação de contar sobre tal fato a seus filhos ano após ano.  

Um pai não mentiria a seu próprio filho sobre algo tão crucial, algo que tornaria a vida do filho totalmente diferente, pois o fato de termos sido tirados do Egito e recebido a torá nos obriga a seguir uma vida com muitas mitsvót e obrigações;  muito menos os pais de milhões de pessoas! Obviamenete eles nunca mentiriam para seus milhões de filhos, cada um contando exatamente a mesma história.

            Porém, ainda resta uma pergunta: porque D’s não se revela também hoje? E se ele não se revela hoje, quem disse que ele se revelou antes?

Em primeiro lugar, devemos saber que se D’s se revelasse para nós, perderíamos o livre arbítrio, pois com Ele revelado, é obvio que ninguém faria nada de errado.

            Porém, em alguma hora na história da humanidade, D’s precisava se revelar para mostrar que Ele realmente existe e para nos ensinar o que é certo e o que é errado, de modo que possamos escolher que caminho seguir e termos o livre arbítrio futuramente.

            Depois desta revelação, ele volta a ocultar-se, deixando a escolha em nossas mãos, nos entregando o livre arbítrio. Por isso, temos a obrigação de contar a nossos filhos sobre o fato que é a base de nossa fé, uma vez que eles não presenciaram tal fato. Além disso, também devemos fazer com que a escolha de nossos filhos pelo caminho correto seja mais fácil, proporcionando-lhes uma educação judaica, tanto na escolha da escola quanto em nossas casas particulares. Assim, estaremos cumprindo a grande mitsvá de “Veshinantam levanecha” e fazendo a nossa parte para a manutenção do judaísmo e do povo judeu!

            O Shema continua dizendo em que situações devemos estudar e ensinar a torá a nossos filhos: beshivtecha beveitecha – quando estiveres sentado em suas casas; uvlechtecha baderech – quando estiveres andando em seus caminhos; uvshochbecha uvkumecha – quando te levantares e quando te deitares. Isto nos mostra que não devemos esperar estarmos numa situação propícia para ensinarmos torá, pode ser que esta hora nunca chegue, pois sempre estamos ocupados com nossas tarefas ou passa-tempos. Mas sim, devemos aproveitar todas as oportunidades que tivermos  para estudar e ensinar os lindos valores de nossa torá a nossos filhos, em conversas em nossa casas, enquanto estivermos passeando e até mesmo com simples histórias antes de dormir (além do Shemá que devemos fazer com os filhos antes deles dormirem). A regra é simples: “se não agora quando?” (pirkei avót). Se não nos preocuparmos em ensinar os valores judaicos para nossos filhos enquanto são pequenos, depois pode ser tarde de mais.

0 Comentários.

Deixe um comentário